quinta-feira, 14 de abril de 2011

CARTA PARA A FILHA

                                                                                                                          Por Scott Fitzgerald


Querida filha:

Preocupo-me muito com suas obrigações. Mostre-me alguma prova das suas leituras em francês. Estou satisfeito por você estar feliz, mas não acredito muito em felicidade. Tampouco tristeza. São coisas que vemos no teatro, no cinema ou nos livros; essas coisas não nos acontecem na vida real.
Tudo em que acredito na vida são as recompensas à virtude (de acordo com os talentos de cada um) e os castigos por deixar de cumprir com as obrigações, que custam o dobro. Se existisse na biblioteca da colônia de férias um livro assim, você iria pedir à sra. Tyson que lhe mostrasse um soneto de Shakespeare onde aparece este verso: Lírios apodrecidos têm cheiro pior do que o das ervas daninhas.
Sem pensamentos hoje, a vida parece o simples relato de um caso publicado no Saturday Evening Post. Penso em você, e sempre de forma agradável: mas se me chamar de "Papy! outra vez, vou levar o Gato Branco para fora e dar-lhe uma boa surra, seis palmadas para cada vez que você for impertinente. Alguma reação quanto a isso?
Vou preparar a lista de comportamento da colônia.
Tolices, concluirei. Coisas que mereçam atenção:
     Cuide da coragem
     Cuide da higiene
     Cuide da eficiência
     Cuide da equitação
Coisas que não merecem atenção:
     Não ligue para a opinião dos outros
     Não ligue para bonecas
     Não se preocupe com o passado
     Não se preocupe com o futuro
     Não se preocupe com o seu crescimento
     Não se preocupe se alguém passar à sua frente
     Não pense em triunfar
     Não pense no fracasso, exceto se for sua culpa
     Não ligue para os mosquitos
     Não ligue para as moscas
     Não ligue para os insetos em geral
     Não se preocupe com os pais
     Não se preocupe com os meninos
     Não se preocupe com as decepções
     Não se preocupe com os prezeres
     Não se preocupe com as satisfações
Coisas para pensar:
Qual é o meu objetivo verdadeiro?
Como me classifico em comparação às meninas da minha idade quanto a:
a) Meu desempenho na escola?
b) Compreender realmente as pessoas e ser capaz de me relacionar bem com elas?
c) Estar fazendo do meu corpo um instrumento útil ou negligenciando este aspecto?

                                                                                                                           Com amor e carinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário